Joinville         -          Sexta-feira, 07 de Julho de 2000         -          Santa Catarina - Brasil
 
 

ANotícia  

E  
S  
P  
O  
R  
T  
E  













Noticiário
Capa
Opinião
Esporte
Economia
Política
País
Mundo
Polícia
Geral
Fórmula 1
Fórmula Indy
Colunas
Alça de Mira
Moacir Pereira
Informal
Livre Mercado
Espaço Virtual
Canal Aberto
Joelmir Beting
Na Grande Área
Cadernos
Anexo
AN Cidade
AN Informática
AN Economia
AN Veículos
AN Tevê
AN Turismo
Especiais
AN Verde
Grandes Entrevistas
Cruz e Sousa
Joinville 149 anos
Festival de Dança
Recicle
Meio Ambiente
Ecologia
Anita Garibaldi
Serviços
AN Pergunta
AN Pesquisa
Como anunciar
Classificados
Assinatura
Mensagem
Loterias
Cinema
Edições 2000
Edições 1999
Edições 1998
Edições 1997
Info
Índice
Expediente
Institucional
AN Capital
Capa
Geral
Última Página
Fala Mané
Ricardinho Machado
StarMedia
E-mail grátis
Bate-papo
Forum
Notícias

Franz Beckenbauer, presidente do comitê organizador da Copa na Alemanha, é cumprimentado por Joseph Blatter, presidente da Fifa

Alemanha vai sediar
Copa pela segunda vez

Vitória de 12 votos a 11 sobre África do Sul gera denúncias

Na votação mais apertada e surpreendente da história dos Mundiais, a Fifa escolheu ontem, por 12 votos a 11, a Alemanha como a sede da Copa do Mundo de 2006. Com a decisão, a Europa garantiu seu décimo Mundial e a Alemanha, que organizou a Copa de 1974, o seu segundo. Como o continente nunca havia recebido um Mundial, a África do Sul era a favorita e tinha até a preferência do presidente da Fifa, Joseph Blatter.
Nas duas primeiras rodadas, Marrocos e Inglaterra foram eliminados. Alemanha e África ficaram com 11 votos cada, contra dois da Inglaterra. Se houvesse um novo empate em 12 a 12, o voto de Blatter decidiria a eleição a favor da África. Afinal, Blatter deve sua eleição, há dois anos, ao apoio dos africanos.
A abstenção do neozelandês Charles Dempsey, entretanto, frustrou os planos da África. Como o voto do escocês David Will foi para a Alemanha, o continente africano perdeu a chance de sediar sua primeira Copa. "Ele (Dempsey) havia nos prometido que se a Inglaterra ficasse fora, seu voto seria nosso", reclamou o dirigente sul-africano Emmanuel Maradas.
O próprio Franz Beckenbauer, presidente do comitê organizador da Copa na Alemanha, demonstrou espanto. "Estou surpreso", admitiu Beckenbauer. "Nunca se está preparado para um momento como esse."
Fiesta Sport tem visual agressivo
Série limitada também utiliza motores Zetec Rocam 1.0 e 1.6.  AN_Veículos 
Entre os motivos para a escolha dos alemães está a infra-estrutura do comitê, que conta com patrocinadores do peso da Adidas, Bayer, Mercedes e Lufthansa. Foram apresentadas 16 cidades-sedes, onde será investido mais de US$ 1 bilhão para a reforma e modernização dos estádios.
A escolha da Alemanha também foi um duro golpe para as pretensões do Brasil em sediar a Copa de 2010. Três dias antes da eleição, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, retirou a candidatura brasileira para apoiar a África. A idéia era ter a contra-partida dos africanos para a Copa seguinte. Com a derrota de ontem, a África do Sul já anunciou sua candidatura para 2010, o que diminui bastante as chances brasileiras.

TV inglesa faz
denúncia de suborno

Londres - A escolha da Alemanha para sediar a Copa do Mundo de 2006, anunciada ontem pela Fifa, foi resultado de suborno, segundo denúncia feita pela emissora de TV inglesa Channel 4 News. De acordo com a emissora, vários membros do Comitê Executivo da Fifa receberam ofertas em dinheiro e promessas de presentes e benefícios para que votassem na candidatura alemã ou sul-africana.
O Channel 4 afirma que o neozelandês Charles Dempsey teria recebido uma carta com promessas de presentes. Outras cartas teriam sido endereçadas a pelo menos cinco outros membros do comitê. A correspondência, de acordo com a denúncia, teria sido colocada sob as portas, nos quartos dos funcionários da Fifa. A Alemanha venceu a eleição por um voto: 12 contra 11 da África do Sul.
Ainda de acordo com a cadeia de TV, o vice-presidente da Fifa, Jack Warner, e o escocês David Will, tomaram conhecimento do problema e informaram o presidente da entidade, Joseph Blatter. Além de comunicarem, os dois teriam pedido que Blatter notificasse a polícia. Blatter teria se recusado a fazer a comunicação.
Em entrevista à emissora britânica BBC, Warner classificou a denúncia de "uma enorme besteira". De acordo com ele, "as cartas estavam mal escritas e tinham uma "tinta estranha". Não devemos levá-las a sério", disse.
O craque argentino Diego Maradona, que lamentou a decisão da Fifa. "Isso que a Fifa fez é tudo política, máfia e desorganização", acusou Maradona em declaração a uma rádio da Argentina. Segundo ele, a África merecia e estava preparada para organizar o Mundial.
Outro indignado foi o ex-jogador de Camarões, Roger Milla. "A Europa é sempre beneficiada", reclamou Milla. "Os africanos deveriam boicotar o Mundial de 2006", sugeriu. Para outros dirigentes africanos, deveria se investigar por que Dempsey mudou de decisão em cima da hora.


São Paulo quer
ganhar título no Mineirão

Jogadores do tricolor acreditam que retranca do Cruzeiro não se repetirá no segundo jogo, domingo

São Paulo - Os jogadores do São Paulo resolveram adotar um discurso de superioridade para a final da Copa do Brasil contra o Cruzeiro, domingo, no Mineirão. Para a maioria do grupo, o empate de 0 a 0 na primeira partida, no Morumbi, não foi um mau resultado. A falta de gols, segundo os atletas, deveu-se exclusivamente à retranca armada pelo técnico cruzeirense Marco Aurélio do que à eventual falta de criatividade da equipe tricolor no jogo.
Ontem, o clima de festa que rondava o Centro de Treinamento, ao som de uma guitarra e um saxofone à beira da piscina, contrastava, no entanto, com o tom de desafio nas declarações dos são-paulinos, que chegavam a mostrar uma certa irritação com o empate inesperado. "O Cruzeiro veio para se defender, armando um esquema conveniente para o time, mas agora vão ter de mostrar sua força e abrir o jogo se quiserem ser campeões", observou o goleiro Rogério Ceni.
Incomodado com o fato da equipe ter ficado sem marcar gols pela primeira vez em 31 partidas, o lateral-direito Belletti, que deverá se casar no sábado e seguir direto para a concentração, chegou até a insinuar que seu time é invencível quando pega um adversário que abra espaços, o que, segundo ele, deverá acontecer na final de domingo, às 18h30, no Mineirão. "Eles vão ter de se abrir e quem joga assim contra o São Paulo, perde", desafiou.
Outros jogadores atribuíram ao regulamento da competição o fato do São Paulo não ter ultrapassado o bloqueio defensivo armado pelo técnico cruzeirense. Pelo regulamento, um gol fora de casa vale o dobro. "Também não poderíamos nos descuidar totalmente da defesa porque se tomássemos um gol em casa, a situação se complicaria", destacou o zagueiro Edmílson, que teve sua venda ao Arsenal, por U$S 7,5 milhões, confirmada pelo presidente Paulo Amaral.
Edmílson reclamou que a diretoria são-paulina não lhe avisou sobre os exames médicos que deveria fazer segunda-feira no clube inglês, o que prejudicaria sua apresentação na Seleção Brasileira. "Quero deixar claro que minha prioridade é a Seleção, ninguém me comunicou sobre esta viagem e quero que os dirigentes dos clubes e da CBF entrem em um acordo para que eu não saia prejudicado".
O meia Marcelinho, que sentiu dores na panturrilha mas não preocupa para a partida de domingo, não se conformava com as afirmações de que sua queda de rendimento na quarta-feira tivesse relação com o fato de ter pintado parte dos cabelos. "Não fiz para menosprezar ninguém, foi apenas uma promessa".


Fluminense
dispensa goleiro Zetti

Roger vai renovar seu contrato nesta sexta-feira

Rio - O Fluminense rescindiu o contrato do goleiro Zetti ontem. A diretoria do clube e o jogador conversaram à tarde e acertaram o fim da ligação entre as duas partes. Zetti lamentou que os dirigentes não tenham tomado a decisão de liberá-lo antes. "Caso tudo se resolvesse antes, eu poderia ter procurado outro clube", disse. "Até agora não conversei com outro time."
O meia Roger, principal destaque do tricolor no primeiro semestre, renovará seu contrato por cinco anos nesta sexta-feira, em uma festa promovida pela diretoria no Salão Nobre da sede do clube, nas Laranjeiras, zona sul do Rio. O presidente do Fluminense, David Fischel, disse que o jogador terá tratamento de ídolo.
O vice-presidente do Vasco, Eurico Miranda, não está mais tão confiante na vinda do técnico Luiz Felipe Scolari para o clube. Em entrevista a uma rádio, o dirigente disse que "Felipão saiu do ar" e não lhe deu mais satisfações. Ele garantiu que fechou um contrato com o treinador durante uma conversa de aproximadamente seis horas. Ao deixar o Palmeiras, Scolari, no entanto, assegurou não ter acertado contrato com nenhum clube.
Eurico não quis estipular uma data para o técnico "aparecer", mas alertou que sua paciência tem limites. "Concordei com tudo que ele me pediu para ser o técnico do Vasco e ainda o espero, mas minha paciência pode acabar daqui a cinco minutos", ameaçou. Caso Scolari não acerte com o Vasco, Oswaldo de Oliveira se torna o principal candidato a dirigir o time.

Fla/Nike

A Nike fechou, ontem, acordo com o Clube de Regatas Flamengo, do Rio, e a ISL por cinco anos para fornecimento de todo o material esportivo das diversas modalidades em que o clube participa, incluindo o futebol. Este é o primeiro acordo que a empresa, fornecedora das seleções brasileiras de futebol, fecha com um time específico de futebol no País.
O diretor de marketing da Nike, Stephen Hevesi, não revela o valor da operação, mas indica quais os interesses da empresa de artigos esportivos: "O Flamengo é o time com a maior torcida do País, com aproximadamente 35 milhões de torcedores, a maior parte fora do Rio", afirma. Isso significa que, se cada torcedor comprar pelo menos uma camisa por ano, os lucros da Nike vão subir ainda mais.


Márcio Araújo pede
demissão no Atlético/MG

Belo Horizonte - O técnico Márcio Araújo pediu dispensa ontem do comando do Atlético-MG. A decisão do treinador pegou de surpresa os dirigentes do clube, que esperavam contar com ele no segundo semestre. Araújo alegou "problemas particulares" para justificar sua saída, depois de ficar no time por cinco meses e ajudar os atleticanos a conquistarem o bicampeonato estadual. "Não tenho nada contra o Atlético-MG", afirmou. "Foram motivos pessoais que me levaram a tomar esta decisão", completou.
O diretor de futebol do clube, Eduardo Maluf, disse que respeita o treinador, mas não escondeu sua irritação diante do pedido de desligamento. "Foi muito de repente e agora vamos ter que pensar rápido em um outro nome", ressaltou. A diretoria começa a pensar em um novo nome a partir desta sexta-feira.


Inter já vendeu seis mil
ingressos para decisão

Lages - No final da tarde de ontem restavam poucos ingressos da primeira remessa de seis mil enviados pela Federação Catarinense de Futebol para a partida final da Segunda Divisão, no domingo, entre Inter e Joaçaba, em Lages. Em função da grande procura, a diretoria do Inter já havia solicitado uma nova remessa de mais cinco mil para serem vendidos em Lages hoje e no sábado (na secretaria do clube, empresas e na Banca Central), e no domingo (bilheterias do Estádio e Banca Central). A expectativa da diretoria é que pelo menos 10 mil pagantes assistam à partida, com uma renda que deverá ultrapassar os R$ 50 mil.
Enquanto a diretoria se preocupa com o jogo fora de campo, os atletas fizeram ontem um treinamento de dois toques, à tarde, no campo de futebol do 10º Batalhão Ferroviário. Poupando alguns jogadores como o volante Marcão (um dos destaques do time), o técnico Tonho Gil orientou jogadas ensaiadas, cobranças de falta e de escanteios, além do posicionamento da zaga.
Onde o vinho faz a diferença
Localizado no Meio-oeste, Pinheiro Preto aposta na herança dos italianos para incrementar o turismo.  AN_Turismo 
Buscando um ambiente mais tranqüilo (até para não correr riscos de que jogadores saiam da concentração num momento tão importante na competição), a diretoria achou por bem deslocar a delegação até São Joaquim, a partir das 19 horas de hoje (sexta-feira). O grupo ficará concentrado no Hotel Nevada até logo após o almoço de domingo, quando se dirige direto ao Estádio para a partida. Nesse período, o técnico Tonho terá tempo suficiente para conversar bastante com os atletas, principalmente naquilo que ele classifica como "trabalho psicológico visando a preparação para uma final".
A Federação Catarinense de Futebol confirmou Giuliano Bozzano como o árbitro da decisão da Segunda Divisão, domingo. Bozzano será auxiliado por Valter Miranda e Welinkson Bozzano.


Avaí deve mesmo
disputar o módulo amarelo

Clube dos 13 vai confirmar relação segunda-feira, em São Paulo

Florianópolis - O clima de intranqüilidade no Avaí, instalado a partir da ameaça do Clube dos 13 de excluir a equipe do módulo amarelo (antiga Série B) foi contemporizado ontem após uma visita feita pelo ex-presidente do clube, Fernando Bastos, ao presidente do Clube dos 13, Fábio Koff, em Porto Alegre. Em seu retorno a Florianópolis, Bastos disse apenas que a ausência do Avaí na disputa não esta definida e que a questão deverá ser oficializada na próxima segunda-feira, quando uma comissão de dirigentes do Clube dos 13 oficializará os participantes.
"O Fábio Koff me disse que ninguém tinha sido excluído e que ninguém tinha sido convidado oficialmente. Ele me prometeu que o Avaí seria apresentado e defendido por ele na próxima reunião do Clube dos 13", afirmou Bastos. O próprio governador de Santa Catarina Esperidião Amim, avaiano confesso, também foi acionado para intermediar um pedido favorável ao clube de Florianópolis. A situação foi amenizada após a divulgação da relação dos 34 participantes, entre eles o Avaí, pelas agências de notícias no final da tarde de ontem.
Bastos informou que Fábio Koff se mostrava decepcionado com o presidente do Clube Brasil, Francisco Batista Neto. Foi informado por Koff que o episódio das críticas dos dirigente ao Clube dos 13 e a sua posição de apoio ao Gama-DF, que move processo na justiça contra a CBF pela sua manutenção na divisão de elite do futebol brasileiro, lhe causou profunda decepção e desgaste. Segundo Bastos, Fábio Koff concedeu inteira assessoria e apoio durante a fase de criação do Clube Brasil. O dirigente gaúcho considerou como uma traição a posição de Batista Neto. "Fizemos ele entender que o Avaí não pode ser punido por um ato que ele não deu causa", afirmou Bastos.
Em entrevista coletiva concedida ontem, em Porto Alegre, após ouvir um apelo pessoal de um representante da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para que mantivesse o Avaí no módulo amarelo, Fábio Koff reforçou sua posição em oficializar os participantes do grupo apenas na segunda-feira e que o critério para a escolha dos clubes será através de convites.

Marcílio na
Terceira Divisão

Itajaí - A diretoria do Marcílio Dias está se preparando para disputar a Copa João Havelange nos módulos verde e branco, competição equivalente à Série C do Campeonato Brasileiro (Terceira Divisão). A maior preocupação da diretoria é conseguir apoio da comunidade empresarial para saldar as dívidas do Estadual e definir reforços para a competição nacional.
O presidente da Federação Catarinense de Futebol, Delfim Peixoto, voltou a informar que o clube de Itajaí só disputaria o módulo amarelo (antiga Série B) em caso exclusão do Avaí. Mas a própria diretoria do Marcílio acha mais viável disputar a série C, onde os gastos seriam menores e a equipe teria melhores chances de classificação.

José Roberto
Ávila pede demissão

Florianópolis - O impasse gerado a partir da ameaça da exclusão do Avaí do módulo amarelo e a crise financeira que atravessa o clube, resultou em mais baixas. Pela manhã o técnico José Roberto Ávila pediu demissão de seu cargo. Ele justificou sua saída à falta de estrutura profissional no clube. "Eu sou uma pessoa excessivamente profissional e atualmente a estrutura do Avaí não condiz com minha proposta de trabalho", despediu-se. O clima de incertezas gerado pela carência de recursos a a instabilidade administrativa, foram apontados pelo ex-treinador como fatores responsáveis por sua saída.
O presidente José Caldeira Bastos lamentou a saída do treinador e disse que nos próximos dias o time terá um novo treinador. Ele não confirmou, mas Roberto Cavalo, atualmente sem clube, é um dos nomes mais cotados para ocupar o cargo. O "efeito dominó" no Avaí teve sequência com a despedida informal do gerente de futebol Lico. Ele teve sua contratação anunciada pelo ex-integrande do comitê de futebol Francisco Batista Neto. Depois de dois dias de avaliação da situação financeira e estrutura do clube, Lico, despediu-se das pessoas que tentaram levá-lo para a Ressacada.
Por conta da instabilidade no clube, todo departamento médico, chefiado pelo cardiologista Tales de Carvalho e seus assessores Fernando Funchal e Luiz Carlos Osório, também se desvinculou do clube. José Caldeira Bastos afirmou, ontem à noite, que nenhuma medida administrativa relacionada as baixas nas últimas 48 horas serão tomadas até o retorno de dois integrantes do comitê de futebol que estão na Europa.
Os empresários Eduardo Gomes e Edson Scher retornam ao clube na próxima segunda-feira, quando tomarão conhecimento da situação do clube e começarão a remontar as comissões técnica e médica, bem como dar início à busca de recursos para solucionar os problemas financeiros mais urgentes, entre eles saldar parte das folhas de pagamento dos jogadores, orçada em cerca de R$ 320 mil.

Clube Brasil
propõe novo torneio

Florianópolis - O presidente do clube Brasil, Francisco Batista Neto, pivô do afastamento temporário do Avaí do módulo amarelo da Copa João Havelange, confirmou ontem a realização da assembléia de sua entidade que acontecerá hoje no hotel West Side, em São Paulo-SP, a partir das 14 horas. Na pauta do encontro, que até ontem, às 17 horas,tinha a confirmação de 13 participantes, estará em estudo a elaboração de uma proposta a ser encaminhada à Confederação Brasileira de Futebol (FCF), para que o Clube Brasil assuma a organização e execução do Campeonato Brasileiro da Série B, atual módulo amarelo.
O dirigente fará a proposta com base em um comunicado oficial encaminhado ao Clube Brasil e assinado pelo presidente em exercício da CBF, Alfredo Leal Nunes, em que dá conta de que a "CBF não realizará este ano o Campeonato Brasileiro em todas as suas divisões e que a CBF não delegou a qualquer entidade ou pessoa a atribuição de organizar dita competição".
"Se a CBF não delegou poderes a ninguém, que nos delegue a organização do campeonato", propôe Batista Neto. O dirigente, acrescentou, inclusive, que o Clube Brasil já conta com uma proposta de compra dos direitos sobre a competição feita por uma rede de televisão, que preferiu não revelá-la.
Batista Neto fez duras críticas ao Clube dos 13 acusando-o de fazer terrorismo aos clubes. "Até agora ninguém tem a certeza de participação no torneio. O Clube dos 13 virou um 'trem da alegria' e retrocede o futebol brasileiro em 20 anos", definiu o impasse o presidente do Clube Brasil. "Só convidam quem eles querem para a festa organizada por eles" completou.

Em crise, Joinville tenta
eleger um novo presidente

Joinville - O Joinville tenta eleger hoje à noite novo presidente e superar a grave crise de liderança que começou a viver depois de ter conquistado o título de campeão estadual e assistir à renúncia do presidente Márcio Vogelsanger.
A reunião do Conselho Deliberativo, iniciada terça-feira e que prossegue hoje, simplesmente caiu no vazio ao constatar que nenhum conselheiro se apresentou como candidato a presidente. Na primeira reunião do Conselho, dos 40 membros apareceram 32. Na segunda, apenas 23.
A situação geral do Joinville é tão crítica que hoje é um clube sem time, sem presidente, sem candidatos e, no ano que vem, sem campo, quando termina o contrato de comodato do Estádio Ernesto Schlemm Sobrinho.
O motivo da retração é o déficit imediato de R$ 200 mil e um acumulado que gira em torno de R$ 1 milhão. Há duas semanas, logo após a renúncia de Vogelsanger, havia a manifestação de duas alas, uma de oposição liderada por Vilson Florêncio e outra de situação encabeçada por Nédio Vitório. O esperado confronto nem chegou a acontecer. Nédio abandonou a pretensão e Florêncio passou o bastão para o amigo Irineu Machado. Ontem, Irineu mostrava-se pessimista. "Se não houver um fato novo, ou seja, algum dinheiro para amenizar a situação imediata, estou fora".
Ele se referia à busca de recursos junto a lideranças da cidade, entre elas o prefeito Luiz Henrique da Silveira. Na reunião de alguns conselheiros com o prefeito, ontem, nada de prático ficou garantido, a não ser a promessa de empenho para solucionar a emergência. "Estamos mobilizando forças da cidade e temos certeza que a crise que hoje afeta o Joinville é passageira", disse o prefeito.


HABILIDADE
Com 2.300 metros de extensão e média horária de 85 hm/h, a pista exige muito dos pilotos e do acerto dos carros

Velocidade entra
em sua fase de definição

São Bento sedia a sexta etapa do Catarinense de Automobilismo

São Bento do Sul ­ Aproximadamente sessenta pilotos são esperados para a 6ª etapa do Catarinense de Automobilismo que acontece neste domingo, em São Bento do Sul. A cidade devia ter sediado a prova em março, mas o São Bento Motor Clube, que organiza a prova, pediu um adiamento. "Estávamos enfrentando problemas com o caseiro do autódromo que era contratado pela prefeitura. Agora assumimos a manutenção do autódromo e contratamos um novo caseiro", explica o diretor de provas Antônio Bellani. O autódromo recebeu melhorias para sediar a 6ª etapa. A área de camping passou a contar com água tratada, a pista recebeu mais 200 metros de guard-rail, defensas que aumentam a segurança dos pilotos e as curvas receberam novo revestimento.
A expectativa do São Bento Motor Clube é atrair um público de seis mil pessoas para a prova, a exemplo de corridas anteriores. A entrada no autódromo custa R$ 10,00. A área de camping estará aberta a partir de sexta-feira à noite. No sábado acontecem treinos livres pela manhã e tomada de tempo à tarde. As provas, no domingo começam às 9 horas.

TRAÇADO SELETIVO

A prova deste domingo deve ser muito disputada, já que o traçado altamente seletivo do autódromo Rio Represo nivela os carros e diminui as diferenças de potência entre os motores. Com 2.300 metros de extensão e média horária de 85 hm/h, o circuito de São Bento exige muito da habilidade dos pilotos e do acerto dos carros. É muito importante ter boa tração nas saídas de curvas e um conjunto de suspensão bem equilibrado, que permita ao piloto atacar a pista travada do autódromo.
"Rio Represo é um circuito que cansa muito. Você tem que estar bem preparado, senão a concentração vai diminuindo com a fadiga e dai o risco aumenta bastante", explica o piloto Douglas Bogo, líder na classificação geral da categoria marcas A, a elite do campeonato. "Numa pista onde largar na frente é fundamental, dada as dificuldades de fazer ultrapassagem, um bom desempenho no treino de classificação é decisivo para a conquista de um resultado na prova", concluiu o piloto.
Aprenda a usar as ferramentas de busca
Sites prometem realizar consultas simultâneas, mas desempenho do serviço vai depender do usuário.  AN_Informática 
O piloto Matheus Gustavo Greipel é o único representante de São Bento do Sul no campeonato e lidera a Marcas B, com 33 pontos. Na categoria Marcas A, o são-bentense está em terceiro lugar, com sessenta pontos. "Não fiz duas etapas nesta categoria o que me prejudicou bastante", lembra. O novo carro de Greipel já está preparado, mas o piloto não pretende estreá-lo no domingo. "Enquanto o primeiro carro estiver dando bons resultados não há necessidade de trocar", explica.

Manchetes AN

Das últimas edições de Esporte
06/07 - Fifa define sede de Mundial
05/07 - Luxemburgo encerra o ciclo de Aldair na Seleção
04/07 - Axel será novidade do Tricolor
03/07 - São Paulo e Cruzeiro vão disputar a final
02/07 - Saem hoje os finalistas da Copa do Brasil
01/07 - Pelé faz críticas à Seleção de Luxemburgo
30/06 - Abatido, Luxemburgo vai mudar o time

Leia também

Semifinais prometem duelos emocionantes em Wimbledon

Agassi enfrenta Rafter e Sampras pega o número 237 do mundo

Chiquinho Leite Moreira

São Paulo - A definição dos finalistas do torneio masculino de Wimbledon 2000 promete ser emocionante. Logo no primeiro jogo, Andre Agassi enfrenta o australiano Patrick Rafter, repetindo uma das semifinais do ano passado. A seguir, o cabeça-de-chave número 1, o "rei da grama" Pete Sampras enfrenta o guerreiro inspirado no filme "O Gladiador" o bielorusso, Vladimir Voltchov, número 237 do mundo, o jogador de ranking mais baixo da centenária história do torneio a jogar uma semifinal. A rodada começa às 9 horas, com transmissão pela PSN.
Com uma história curiosa e rica em detalhes, Vladimir Voltchov ganhou fama e dinheiro este ano em Wimbledon. Com um ranking muito baixo, 237, só conseguiu jogar o qualifying, depois de outros três jogadores terem desistido da disputa. Após ganhar uma vaga na chave principal, viu-se diante de outro problema. Não tinha roupas brancas, como determina a tradição do All England Club, nem mesmo tênis especiais para as quadras de grama. Pediu calções emprestados ao russo Marat Safin e arrumou um sapato de sola especial.
Para economizar dinheiro, dividiu um quarto de uma casa com seu pai e o tenista compatriota Max Mirnyi. Nicolai, o pai, encarregou-se de fazer a comida e Vladimir só saiu para passear, quatro vezes, para ver o filme O Gladiador. "Vou ver este filme pela quinta vez para enfrentar o Sampras", afirmou Voltchov, no All England Club. "Estar nas semifinais de Wimbledon é como um sonho", prosseguiu. "O que mais poderia desejar, chegar as semis e ainda enfrentar o Sampras."
A outra semifinal terá dois jogadores bem mais experientes e consagrados. Agassi e Rafter já se enfrentaram por 10 vezes, com sete vitórias do norte-americano. Talvez por isso, o australiano tenha confessado hoje que gostaria de ver seu adversário num dia ruim. "Espero que o Agassi não acorde bem, para ter maiores chances de vitória."

Venus Williams e Lindsay Davenport mostram força

A final feminina do torneio de Wimbledon, no sábado, mostra que o "tênis-força" já é uma peça importante entre as mulheres também. As duas finalistas, as norte-americanas Venus Williams e Lindsay Davenport, são atléticas, altas e costumam sacar a mais de 180 km/h, muito mais forte do que alguns dos homens do circuito profissional.
Davenport tem 1,88 metro e deixou de ser chamada apenas de "grandalhona" depois de perder 13 quilos e ganhar agilidade e força em seus golpes. Assim, conquistou o título do US Open, em 1998, e de Wimbledon, no ano passado. Na semifinal desta quinta-feira, ela intimidou a franzina sérvia naturalizada australiana, Jelena Dokic, de 17 anos, de raquetadas refinadas, mas sem a mesma potência. Davenport venceu em dois sets por 6/2 e 7/6 (7/3), em apenas 51 minutos.
Já a atlética Venus Williams lembra as velocistas que vão às Olimpíadas. Na quadra, costuma ser ágil e eficiente em seus golpes. Tem um saque poderoso e chega bem em quase todas as bolas.
Numa semifinal em família, Venus derrotou a irmã mais nova, Serena, por 6/2 e 7/6 (7/3), em 1h27 de um jogo abaixo do nível técnico esperado. O nervosismo marcou este encontro que acabou com a derrotada chorando bastante. Os erros das tenistas não invalidam uma promessa feita pelas duas quando iniciaram a carreira profissional: a de brigarem pela posição de número 1 do mundo. Ambas mostram condições para isso e logo podem estar disputando
a liderança da lista da Associação Feminina de Tênis (WTA).
Com 20 anos, Venus é a terceira negra a disputar um título em Wimbledon. A primeira foi Althea Gibson, que conquistou os troféus de 1957 e 58. Em 1990, Zina Garrison também esteve na final, mas perdeu para Martina Navratilova.
A decisão deste sábado será a primeira envolvendo duas tenistas dos Estados Unidos nos últimos dez anos do torneio de Wimbledon. Na última vez que o fato aconteceu, estiveram envolvidas a checa naturalizada norte-americana Martina Navratilova e Zina Garrison.
No entanto, a última final envolvendo norte-americanas nascidas nos Estados Unidos aconteceu em 1973, com Billie Jean King e Chris Evert.


Rosa e Padaratz avançam no Billabong MSF Pro

Jeffrey's Bay, África do Sul - Os brasileiros Flávio Teco Padaratz e Peterson Rosa já estão entre os oito melhores surfistas do Billabong MSF Pro 2000 e estão classificados para disputar as quartas-de-final da quinta etapa do ASP World Championship Tour (WCT). Com a vitória sobre o número 1 do mundo, Sunny Garcia (Havaí), quarta-feira nas ondas de 1 metro de altura em Jeffrey's Bay, África do Sul, o atual campeão brasileiro Peterson Rosa não poderá competir no Super Surf de Ubatuba, que começou ontem na Praia de Itamambuca. Já Teco Padaratz ganhou o confronto brasileiro contra Renan Rocha nas oitavas-de-final em Jeffrey's Bay e segue defendendo a terceira colocação no ranking mundial de surfe profissional, que continua liderado por Sunny Garcia, com o australiano Luke Egan em segundo lugar.
"Confesso que gostaria muito de ir competir em Ubatuba", disse Peterson Rosa. "Até disputei a bateria contra o Sunny bem relaxado e acho que isso me ajudou, porque tive sorte e consegui pegar boas ondas na bateria", continuou Peterson, que fez a maior marca do dia ­ 20,25 pontos ­ para despachar Sunny Garcia, que fez 18,15 pontos em suas três melhores ondas.
"Na primeira fase, ele me ganhou e agora eu consegui ganhar dele. Estou muito contente, porque este resultado vai ser muito importante para eu dar uma subida no ranking", completou Rosa, que ocupava a 15ª posição na classificação geral da temporada. O seu adversário nas quartas-de-final será o australiano Richard Lovett, que derrotou duas vezes o niteroiense Guilherme Herdy em Jeffrey's Bay e classificou-se ao derrotar o seu compatriota Michael Campbell nas oitavas-de-final.
Esta é a segunda derrota seguida do havaiano para os surfistas brasileiros, pois nas Ilhas Fiji ele também parou nas oitavas-de-final, quando foi barrado pelo vice-campeão da quarta etapa do ASP World Tour 2000, Guilherme Herdy,. "Eu tive todas as oportunidades do mundo para bater o Peterson hoje", achou Garcia. "É decepcionante você vir num lugar que tem ótimas ondas, mas elas não estão boas. O Peterson pegou boas ondas e acabou levando a melhor, mas ainda tem 8 etapas pela frente para ver se eu saio deste nono lugar", completou Sunny, que venceu as duas primeiras etapas da temporada, na Austrália, mas pela terceira vez seguida não passou das oitavas-de-final.

FEMININO

Em uma bateria com poucas ondas, a brasileira Tita Tavares acabou eliminada pela australiana Trudy Todd nas quartas-de-final do Billabong MSF Pro. Depois de ganhar da baixinha cearense, por 12,10 x 9,75 pontos, Todd registrou o recorde de pontos do feminino ­ 21,30 pontos ­ para derrotar a sua compatriota Lynette MacKenzie na semifinal e colocar o seu nome na bateria que vai decidir o título feminino em Jeffrey's Bay, África do Sul. A brasileira mantém-se em quarto lugar no ranking mundial, agora atrás de Abubo (primeira colocada), Beachley (segunda) e Andersen (terceira).


Treinos da Chevolet iniciam hoje

Goiânia - Os treinos livres para a quarta etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Chevrolet começa hoje em Goiânia. A rodada terá como principais atrativos a briga pela liderança travada entre o rondoniense Pedro Araújo e o carioca Popó Bueno (Rhumell), e a volta do maranhense Daniel Scandian após o sério acidente sofrido na etapa anterior, em Guaporé, no Rio Grande do Sul.
"Apesar de eu nuca ter andado nesse circuito, minha equipe teve um bom desempenho no ano passado e estamos confiantes em correr pela vitória para podermos assumir a primeira colocação no campeonato", disse Pedro Araújo, vice-líder da categoria. Já Scandian, recuperado das luxações sofridas no joelho e no tornozelo esquerdos, espera voltar a brigar na frente. "Minha equipe teve que reconstruir o carro e nós não sabemos como ele vai se comportar. Acho que nos primeiros treinos nosso ritmo deve ser mais lento, mas estamos confiantes em encontrar um bom acerto", declarou o maranhense.
A programação oficial da categoria prevê para hoje ao meio dia o primeiro contato dos pilotos com o circuito goiano. As 14 horas terá início a segunda sessão de treinos livres, e amanhã a uma da tarde começa o treino de classificação. A largada para a corrida de domingo, que terá duração de 30 minutos, será dada às 12 horas.


Natação - A Federação Britânica foi a primeira a confirmar presença na etapa brasileira do Circuito do Mundo de Natação em Piscina Curta - a primeira do biênio 2000/01. A delegação britânica terá oito nadadores.

 

A Notícia: Capa | Opinião | Esporte | Economia | Política | País | Mundo | Polícia | Geral | Fórmula 1 | Fórmula Indy | Colunas: Alça de Mira | Moacir Pereira | Informal | Livre Mercado | Espaço Virtual | Canal Aberto | Joelmir Beting | Na Grande Área | Cadernos: Anexo | AN Cidade | AN Informática | AN Economia | AN Veículos | AN Tevê | AN Turismo | Especiais: AN Verde | Grandes Entrevistas | Cruz e Sousa | Joinville 149 anos | Festival de Dança | Recicle | Meio Ambiente | Ecologia | Anita Garibaldi | Serviços: AN Pergunta | AN Pesquisa | Como anunciar | Classificados | Assinatura | Mensagem | Loterias | Cinema | Edições 2000 | Edições 1999 | Edições 1998 | Edições 1997 | Info: Índice | Expediente | Institucional | AN Capital: Capa | Geral | Última Página | Fala Mané | Ricardinho Machado | StarMedia: E-mail grátis | Bate-papo | Forum | Notícias
Copyright © 2000 A Notícia - Fone: 055-0xx47 431 9000 - Fax: 055-0xx47 431 9100 - Rua Caçador, 112 - CEP 89203-610 - C. Postal: 2 - 89201-972 - Joinville - SC - BRASIL - EXPEDIENTE - Redaçčo: anoticia@an.com.br - Fotografia: foto@an.com.br - Classificados: anclassificados@an.com.br - Comercial: anuncio@an.com.br - Circulação: assinatura@an.com.br - Web site: internet@an.com.br
 

Por: Torque Comunicação e Internet - Autoria: Avelar Lívio dos Santos, jornalista, RP MTr/PR 890
'use strict';